sexta-feira, 30 de maio de 2014

5º ano - Estudando Vulcões

     O 5º ano B a partir das aulas de ciências, despertaram a curiosidade em conhecer os vulcões. Foram ao laboratório de Informática onde pesquisaram, assistiram vídeos, localizaram-os no mundo e se surpreenderam com as descobertas. Em sala de aula construíram um vulcão, simulando inclusive em erupção. De acordo com a descrição da aluna Kamily Theves foram utilizados os seguintes materiais: argila, corante, detergente,vinagre e bicarbonato de sódio. Após a construção do vulcão descreveram a experiência.
      Texto de descrição da aluna kamily Theves:
     Modo de fazer: Procure uma base para seu vulcão, forre sua mesa e depois construa seu vulcão, mas primeiro coloque um copo descartável com a boca para baixo, em cima do copo coloque um potinho de tempero (vazio) com a boca para cima.
     O mais importante é não cobrir as rachaduras, para ele parecer bem natural. Se você quiser você pode pintar o seu vulcão,mas se não quiser não faz mal,depois de pintado deixe-o secar alguns minutos e depois coloque os materiais necessários, primeiro coloque o detergente, coloque corante, bicarbonato de sódio, depois misture e por fim para o vulcão entrar em erupção coloque vinagre.


Dia do desafio

O Grêmio Estudantil e a Equipe de lideranças organizaram atividades para as turmas do Pré ao 9º ano no dia do desafio.

Aniversário da escola

Na semana de aniversário da escola, que ocorreu entre os dias 18/05/2014 à 25/05/2014, os alunos, professores e funcionários tiveram a oportunidade de conhecer e ou relembrar um pouco da história através de documentos, fotos, vídeos expostos para visitação.
No dia 23/05/2014 assistiram uma peça teatral de fantoches, seguido de um poema e um parabéns gaudério do Grêmio Estudantil.

O maravilhoso teatro de fantoches
Apresentando os personagens, Igor, Camili e a vovó Paulina

Igor – Alô, garotada!

Igor - Meu nome é Igor. Estudo na escola D. Pedro I desde 2012. Vocês sabem que nossa escola está de aniversário? Ela está completando 95 anos de história a favor da Educação. Eu vim aqui para falar para vocês um pouco desta história, mas antes vou chamar minha colega Camilly para juntos contarmos esta história.

Igor – Camilly, Camilly, Camilly, venha cá!

Camilly – Oi, Igor! me chamou? Você quer falar comigo?

Igor – Sim! Gostaria que você me ajudasse a falar para esta garotada, um pouco da história de nossa escola.

Camilly – Ok, primo! Então vamos lá! Alô garotadaaaaa!

Camilly – Me chamo Camilly, tenho 11 anos, estudo na D. Pedro I desde 2013 e estou no 7º Ano C, no turno da tarde. Igor, agora, já podemos começar.

Igor – Então tá, já estava ficando nervoso, temos muito que contar.

Camilly – Na nossa escola temos muitas salas de aula, temos atualmente 602 alunos nos turnos da manhã e da tarde, o nome da nossa diretora é Profª Vânia e a vice Profª Márcia. Temos também nossa supervisora que é a Profª Vera e a orientadora a Profº Rose. Ela é uma das professoras mais antigas da escola.

Igor -  Temos muitos professores legais, temos também funcionários dedicados e uma equipe diretiva muito boa.

Camilly – Na nossa escola tem ginásio de esporte, sala de informática, biblioteca, pracinha e um pátio pequeno para brincar.... Ah, já ia me esquecendo.

Igor – Do que, Camilly?

Camilly – Do guardinha, ele é que cuida da entrada e saída dos alunos, do pátio da escola e faz muuuitos consertos.

Igor – Camilly, vamos chamar a vovó?

Camilly – Vovó!

Igor – Vovó!

Vovó – Olá, me chamaram, meus netinhos? O que vocês querem comigo?

Igor – Vovó, você que conhece bem a história da D. Pedro conta um pouco dela para este pessoal.

Vovó – Olá pessoal! Vocês querem ouvir?

Vovó – Está bem. Então vamos prestar atenção, é uma história muuuuito bonita. Vou contar para vocês do tempo quando eu ia para a escola dos alemães que se chamava Deutsch Evangelische Schule (Escola Evangélica Alemã). Tudo começou em 1919, meu pai e mais 21 associados do nosso lugar que naquela época se chamava Picada São Bento se reuniram e formaram a Escola Evangélica Alemã. O objetivo era fazer uma escola para melhorar a condição de estudo dos seus filhos, pois as outras escolas ficavam muito longe de onde nós morávamos.  
Me lembro do nosso primeiro professor: que homem! Haaa. Ele se chamava Teobaldo Dick, sim, ele vinha todas as tardes a cavalo para a escola, ele ganhava naquela época 3.000,00 reis e mais milho e alfafa para alimentar seu cavalo, de tempos em tempos o seu salário aumentava, ele era muito valorizado.
Ahãã! Quanto a nossa escola, crianças, a nossa escola tinha apenas uma sala de aula com 10 banquinhos de madeira para 4 alunos. As aulas eram em alemão, para alunos evangélicos e de origem alemã. A aula era somente em um turno.

Camilly: Que mudança! Não consigo acreditar que nesta escola eu não poderia estudar.

Vovó:  Lá na rua havia apenas uma capunga, que era o banheiro. Cada aluno trazia sua merenda, a limpeza da sala  era a gente que fazia no final com o professor, deixava tudo arrumadinho.
Bom, muitos anos depois, no dia 31 de dezembro de 1941 a escola recebeu o  nome de Dom Pedro I. Hããã!  Nessa época nós tínhamos como professor o Seu Jacob  ....Ele nos dias de chuva já podia vir de ônibus, que alegria andar de ônibus! Sabe, havia pouca ajuda da Prefeitura, o material que nós usávamos era uma pedrinha de giz e um quadrinho onde tínhamos que escrever a lição, dar para o professor corrigir e depois apagar para usá-la de novo.  Tínhamos que aprender rapidinho o que o professor tinha ensinado e ai de quem não sabia. Ai que medo!
  Mais tarde usamos pena, um tinteiro com tinta e papel para fazermos a lição. No final do ano nossos pais e a comunidade toda, estavam lá no fundo da sala e nós tínhamos uma prova oral. O professor perguntava para cada um e se este não sabia responder a pergunta que ele queria, era reprovado de ano e ficava de castigo. Sim, era uma vergonha, e que medo  do professor, do papai e da mamãe.

Igor: Vovó, que bom que hoje o professor é nosso companheiro!

Vovó: E além de ir para a escola eu e meus irmãozinhos tínhamos que trabalhar na roça, plantar milho, aipim, tirar leite da vaca, tratar os animais e ajudar a mãe em casa.  Puxa, naquele tempo era difícil ser criança, muito difícil. Sobrava pouco tempo para brincar, não tinha nem televisão, a água que abastecia nossa escola e o nosso bairro,  vinha de um poço perto da escola, era tocado a motor.Um vizinho da escola, chamado Antonio, cedeu um terreno para preparar a horta e plantar bastante fruta.
Vocês conhecem a Escola Alberto Torres, lá no Centro?

Igor e Camilly – Nós conhecemos, vovó.

Vovó – Ela foi a primeira escola de Lajeado. Ela ajudava nossa escola, porque nós também éramos evangélicos, havia lições de civismo, de cidadania, hora cívica, versos e poesias. O professor aplicava em nós castigos físicos, a gente apanhava com varinha, com régua nas mãos e ainda a gente ajoelhava nos milho, mas o respeito pelo nosso professor era muito grande! Fazíamos piquenique, reunião de pais. Meu Deus, se os pais não mandavam seus filhinhos para a escola, eles pagavam uma multa e perdiam o direito de ser sócio e os filho não podiam estudar mais na escola.
 Graças a Deus, eu ajudava em casa e contribuía para que o pai conseguisse pagar a escola. Alguns dos meus irmãos não conseguiam estudar muito, eles tinham cabeça dura, não aprendiam bem. Eu me lembro, sabe, da 1ª professora mulher, que foi a Sra Esther ... que professora boa! Encontrar professores homens estava muito difícil. No ano de 1980 houve algumas mudanças na nossa escola, ela ganhou novo regimento e a escola então começou a chamar Escola Particular de 1º Grau Incompleto D. Pedro I e só tinha até a 5ª série. Também no ano de 1980, as nossas capungas foram substituídas por banheiros construídos pela diretoria da escola.  Que bom!  

Igor:  Vovó, por que hoje a escola se chama Escola Municipal de Ensino Fundamental D. Pedro I?

Vovó – Porque em 1994 a prefeitura assumiu as despesas com salários, água, luz, limpeza, merenda e melhoria e então ela passou a ser municipal. Quantas lembranças! Mas vocês acham que a escola mudou? Ela deu certo?

Vovó – Quem gosta de estudar aqui?

Camilly: Eu gosto muito, vovó. Participo do grupo de representantes de turma e do Projeto Liderança.  Este ano eu, meus colegas representantes e integrantes do grêmio estudantil estamos estudando os eixos para juntos, com os demais alunos da escola, opinarmos na construção do Plano Municipal de Educação.

Vovó – Está tudo tão mudado. Hoje os alunos tem a oportunidade de colaborar nas decisões da escola.

Igor: Isto é democracia!

Vovó – Já estou ficando velha, cansada, mas vou deixar aqui um conselho para vocês crianças e jovens: Estudem, valorizem seus professores, amem e cuidem de sua escola, pois um dia quem sabe, os seus filhos estudarão aqui.
Espero que a escola continue sendo este lugar de ensinamento para que vocês se tornem grandes cidadãos.

Igor: Que história de conquistas! Só nos resta homenagearmos a escola cantando com a maior alegria o ”Parabéns a Você”. Vamos lá!?

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Homenagem Aniversário da escola

      No dia 25 de maio a nossa escola comemorou 95 anos e a turma do 4º ano A juntamente com a Professora Silmara F. Barbosa deixa aqui sua homenagem.

Visita ao Bairros Lajeado - 4º ano

     No dia 15 de Maio de 2014, a Escola Municipal de Ensino Fundamental D. Pedro I, realizou com as turmas dos 4º anos, um passeio pelos Bairros de Lajeado.
Saímos da escola, que está localizada no Bairro Jardim do Cedro, com destino a Conservas, Passando pela rua que delimita os dois bairros.
     Os alunos puderam observar limites da cidade de Lajeado e Cruzeiro (acesso pelo Bairro Nações) e Santa Clara do Sul (acesso pelo Bairro Hidraúlica) e Lajeado - Arroio do Meio ( acesso pelo Bairro Universitário). A Ponte de Ferro, localizada no bairro Universitário foi vista e admirada pelos alunos, pois muitos ainda não a conheciam.
     O campo do Lajeadense, que se localiza no Bairro Floresta, foi conhecido de perto por eles, que tiveram a oportunidade de entrar em campo.
     A paisagem ia mudando de acordo com a localização dos bairros, e os alunos conseguiram observar as diferenças entre a zona rural e urbana.
     Outros conhecimentos puderam ser adquiridos através da observação, os quais são fundamentais para que os alunos possam se localizar no espaço em que vivem: a distinção entre ruas, estradas, avenidas, BR e RS. Todos esses conhecimentos serão debatidos em sala de aula.
     Além de estudos geográficos, a história da nossa cidade foi conhecida brevemente no Bairro Carneiros, na visita ao Marco Histórico, localizado onde foi construída a primeira moradia de Lajeado pelo imigrante Antônio Fialho de Vargas.
     A visita aos bairros, além de ter possibilitado às crianças um vasto aprendizado, foi muito divertida.




Projeto liderança, juventude em ação: Protagonismo juvenil e perspectivas.

Desde o ano de 2013 crianças e adolescentes, representantes de turma e integrantes dos Grêmios Estudantis das Escolas da Rede Municipal de Educação de Lajeado, estão tendo a oportunidade de descobrirem a força juvenil na transformação do seu mundo pessoal e do mundo social no qual vivemos.


           
Projeto Liderança, qual é?
- E aí mana, tudo sereno?
- Oi! Sim, sim e aí?
- Tudo na paz!
- Qual é a novidade?
- Bah, ela é tri e promete.
- Então qual é, tô na curiosidade.
- Lembra do Projeto liderança?
- Como não! O jovem teve vez e voz.
- Muitas reflexões, atividades, amizades e lazer.
- Pois é, vai continuar em 2014.
- Beleza, tô dentro.
- Eu também!
- E os colegas o que acham do projeto Liderança?
- Aprendizagem pra vida!
- Oportunidade!
- Responsabilidade!
- Incentivo ao jovem!
- Fé na juventude!
Superação, motivação, pra mudar o mundo determinação
Jovem protagonista desta nação
É nóis.
Pra mudar o mundo aprenda esse refrão
O jovem não é problema, o jovem é solução (Daniela Mercury)



Conferência Infanto juvenil de Lajeado
No dia 15 de Abril 35 jovens, representantes de turma e integrantes do Grêmio Estudantil, da EMEF D. Pedro I participaram da Pré Conferência Infanto Juvenil, no Parque do Imigrante, para estudarem os Eixos: Direito de Aprender; Escola Sustentável; Educação Integral; Educação Infantil e Gestão Democrática, afim de serem multiplicadores deste estudo na escola para que todos alunos possam opinar e ajudar na construção do Plano Municipal de Educação da Rede Municipal de Lajeado.

Dia das Mães

      No dia 09/05/2014 os alunos e professoras dos anos iniciais juntamente com o Grêmio Estudantil organizaram um momento de integração para homenagear as mães, contando também com a participação dos alunos Ramon e Natália.


PÁSCOA, passagem da escravidão para liberdade. Época fértil para refletirmos o grande amor de JESUS por nós.

O verdadeiro sentido da páscoa 


Menina: Ninguém tem direito de trocar a pessoa que realmente é importante na páscoa por uma coisa que nem existe só para vender e se dar bem. Afinal... coelho nem coloca ovos?
Coelho: É verdade, coelhas não colocam ovos, muito menos de chocolate....Mas quem é essa pessoa que você está falando que é importante na páscoa?
Menina: Essa pessoa é Jesus Cristo!!
Coelho: Quem?????
Menina: Jesus Cristo! Jesus Cristo, o filho de Deus que morreu numa cruz para salvar toda a humanidade.
Coelho: Mas porque Ele morreu na cruz? O que Ele fez?
Menina: Ele não fez nada de mal....Deus o enviou para o mundo para cumprir um plano muito especial. Ele veio ao mundo para salvar o pecador. Ele, que não tinha pecado algum sofreu, morreu numa cruz por nossos pecados.
Coelho: Coitadinho...está morto sem ter feito nada....
Menina: Calma coelhinho, a Bíblia diz em I Coríntios 15:3 e 4 (mostra a bíblia) que Cristo Morreu por nosso pecados, foi sepultado, mas no terceiro dia Ele ressuscitou.
Coelho: Ele ressus..oque? O que é isso?
Menina: Ele ressuscitou....Ressuscitar é voltar é viver. Jesus não está morto, Ele reviveu. E mora no céu, mas também pode morar no seu coração.

 

Eu sou o Pão da vida, O pão do Céu
Eu sou o rei dos reis, o Salvador
Eu sou o Cristo, o Filho do Deus vivo
me dei por vós, só por amor

Este é meu corpo, Tomai e Comei
Este é meu Sangue, Tomai e Bebei
Revestí-vos de minha força
Estejais em mim
Eis que estou convosco até o fim   (Pe. Marcelo Rossi)




Ele não desiste de você
Ele se importa com você
Ele compreende o seu caminhar
Nunca vi um amor tão grande assim!
Ele não desiste!!!   (Marquinhos Gomes)